» Funcionários recebem a Casa Comum ao celebrar o mês
do nascimento, batismo e santidade de Paula Frassinetti

publicado em 16.3.17
...........................................................................................................................................................

Nos dias 11 e 13 de março de 2017, reunimo-nos em Escola de Leigos com a Equipe de Funcionários de Base e Administrativos da nossa escola, para mais um momento de formação continuada. Em sintonia com a celebração do Nascimento, Batismo e Santidade de Paula Frassinetti, trabalhamos a ideia de que a “Casita de Quinto cresceu e o rosto de Deus resplandeceu!”, tendo como contexto o Colégio Santa Doroteia de Belo Horizonte.

Iniciamos a formação iluminados pelo relato bíblico do homem que construiu a sua casa sobre a rocha. Aliamos a sabedoria do homem que constrói a sua casa sobre a rocha ao sentimento de pertença que leva o funcionário a enraizar-se numa casa doroteia, a fim de florescer-se e tornar a casa melhor do que ela já é. Organizamos grupos de trabalho e os funcionários foram desafiados em duas tarefas. Para a primeira tarefa, cada grupo recebeu as peças de uma maquete do Colégio, de tal forma que a Casa Comum ia sendo erguida, com cada grupo assumindo um dos prédios e/ou espaços que compõem a escola. Ao término da montagem, cada grupo se encarregou de instalar os prédios na maquete da casa comum. Na segunda tarefa, o grupo recebeu três perguntas que propunham uma reflexão sobre a relação de cada pessoa e do grupo com esta que é a nossa “Casa Comum”.



Na realização da plenária, grande foi o envolvimento dos funcionários no reconhecimento do quanto fazer parte da família de Paula os compele ao crescimento e os possibilita ao entendimento de que somos realizados quando nos abrimos para a Vontade de Deus. Para muitos funcionários, a acolhida, o cuidado com cada pessoa e o espírito de família são os elementos que sustentam o sentimento de pertença, o enraizamento e a floração de cada colaborador na Escola Doroteia. Outro momento forte da formação foi a apresentação de um elenco de orientações que possibilitam a manutenção da Identidade do profissional em uma Casa Doroteia, tendo como eixo as atitudes imprescindíveis em toda a relação, tal como se apresenta no Documento “Educar para nós!” Na oração final do encontro, rezamos o nosso desejo e esperança de que a nossa casa comum possibilite a todos a contemplação da ternura do rosto de Deus.