» Inserção missionária na Comunidade Quilombola de Marinhos

publicado em 3.4.17
...........................................................................................................................................................

Uma nova forma de conduzir e animar e as atividades do Grêmio Estudantil têm sido a tônica da atual diretoria. Projetos inovadores, que verdadeiramente conduzem nossos alunos ao protagonismo juvenil. Dentre os vários projetos para o atual biênio, destacam-se o “debate de temas atuais” que será realizado nas próximas semanas e a missão solidária na comunidade quilombola de Marinhos.

Entre os dias 7 a 9 de abril, quinze alunos e dois educadores participaram da inserção solidária nesta comunidade quilombola. Segundo relato dos próprios alunos, foi uma experiência inesquecível. Durante os três dias os alunos participaram do cotidiano da comunidade, inclusive se hospedando na casa das famílias da localidade. Se vivenciar integralmente o dia a dia do povo foi marcante para os alunos, não menos marcante foi a contribuição ao projeto “Comunidade colorida”, na qual nossos alunos e educadores, limparam o muro da igreja local e o pintaram de branco, preparando-o para receber desenhos de grafite, que retratarão aspectos importantes e monumentos da comunidade.



A presença e participação nas celebrações litúrgicas daquele final de semana também foram destaque, visto que a Igreja Católica celebrava a entrada triunfal de Jesus Cristo na cidade de Jerusalém. No final daqueles dias a comunidade ofereceu um delicioso almoço com um prato típico: angu com ora-pro-nóbis. Uma delícia!

Voltamos felizes, na certeza de que, bem perto de Belo Horizonte, existe uma comunidade feliz, na qual homens, mulheres e crianças, vivem o cotidiano sem as grandes ostentações da cidade grande, mas em profunda sintonia com a mãe-natureza. Verdadeiramente aprendemos que “se queremos ser universais, devemos começar pintando o muro de nossa aldeia”, ou da “aldeia de Marinhos”, nossos irmãos da comunidade quilombola que nos ensinaram sobre o “ser universal” e, principalmente, sobre a LIBERDADE.





 

Walmir Xavier