» Alunos da turma 26 se divertem nas aulas de Matemática
   criando a “Vendinha de lanche”

publicado em 7.6.18
...............................................................................................................................................

 

Segundo CABRAL (2006) conhecimento é algo pessoal, subjetivo e não linguístico em sua origem, sendo o resultado de uma experiência do indivíduo com a informação.

Assim, conhecimento e informação são coisas diferentes. A informação pode ser obtida de muitas formas (livros, revistas, jornais, televisão, internet e outros). Mas, se o sujeito não interagir com ela, ou se esta informação não for significativa para este indivíduo, ela não se transformará em conhecimento. (Cabral, 2006, p. 10)

Buscando trazer significado para os momentos de aprendizagem, a turma 26, 2º ano, experimentou um momento de brincadeira com manipulação de “dinheirinho”, para reforçar os conteúdos estudados em Matemática relacionados ao Sistema Monetário.

Para a brincadeira, foi criada uma “Vendinha de lanches”, sendo as mercadorias, as próprias lancheiras das crianças. Desta forma, as crianças adquiriam seus próprios lanches utilizando “dinheirinho” fake.  O valor dos lanches eram estipulados pelo ‘comerciante’, que também era responsável por registrar a compra, receber e dar o troco corretamente ao ‘cliente’.
Ao final da brincadeira, as crianças expuseram sua satisfação com o momento de brincar na aula de Matemática e também com a experiência de envolver-se na compra e manipulação de dinheiro (ainda que “dinheiro de mentirinha”). As crianças gostaram tanto da brincadeira, que solicitaram que a experiência ocorresse em outros momentos.

Professora Carolina Luana Prado Moraes

Fonte: CABRAL, Marco Aurélio. A utilização dos jogos no ensino da Matemática.  Curso de Licenciatura em Matemática. Universidade Federal de Santa Catarina, 2016.